Line_Up

Na edição de Junho, a revista Plane&Pilot traz uma matéria que busca sensibilizar os leitores sobre o que é Proficiência em Aviação e a importância de estar em dia com a sua própria capacidade de operar uma aeronave de forma plena.

A APPA-AOPA Brasil sabe que Proficiência nada tem a ver com "estar em dia com suas habilitações". As regras aeronáuticas determinam os limites mínimos que precisam estar atendidos para que alguém possa exercer as prerrogativas das suas licenças e habilitações. Mas isso não significa, necessariamente, estar PROFICIENTE. A revista publica um Checklist para que os pilotos testem a sua proficiência, que pode ser baixado clicando aqui: proficiency-checklist.

A matéria traz 10 grupos de hábitos que podem lembrar aos pilotos o quanto estão sendo cuidadosos com seus vôos e estão de fato proficientes:

1. Antes do Voo: Verifique realmente toda a aeronave, superfícies de comando, vazamentos em todos os sistemas além de só dar uma olhada no nível de óleo, calços e amarras retiradas, nível de combustível nos tanques (devidamente drenados), uso do Checklist para Acionamento, explicações claras para todos os passageiros sobre amarração de cintos de segurança, procedimentos de emergência e para que se sintam a vontade para alerta-lo sobre tráfegos.

2. Taxi:  Antes de iniciar o taxi, realmente verificar se a área das hélices estão livres de obstáculos e pessoas. Durante o taxi, manter uma velocidade adequada para que frenagens possam ser efetivas, sempre operando no centro das taxiways e posicionando a aeronave, para cheque de motores, de modo a evitar jogar sujeira e detritos em quem pode estar atrás. Qualquer sinal indevido no funcionamento dos motores é motivo para não prosseguir no voo.

3. Antes da Decolagem: Sempre usar o checklist. Verificar a atuação dos comandos, se estão livres e correspondentes. Portas e janelas fechadas, cintos passados, checado visualmente o circuito de tráfego, tendo executado a comunicação com os órgãos ATC de forma correta.

4. Decolagem: Aplicação gradual de potência, verificação de que todos os parâmetros de motor e potência encontram-se conforme determinado no Manual de Operações, iniciando e mantendo a rolagem no centro da pista, não importa o vento. Manter o prolongamento da pista após a decolagem, que deve ter sido feita nas velocidades e configurações de flape corretas.

5. Subida Inicial: Padrão de subida pré-selecionado, no planejamento do voo, tem que ser cumprido, com pequenas variações nas velocidades determinadas.

6. Cruzeiro: Uma vez nivelado, então ajusta-se a potência, mantendo-se sempre atento quanto a tráfegos, pássaros e obstáculos, mantendo a potência e a altitude pré-selecionadas não permitindo variações significativas. Curvas sempre feitas de forma suave e coordenadas. Planejamento de voo sempre sendo verificado.

7. Coordenação: Curvas devem ser feitas com adequada aplicação de leme e ailerons, não arrastando qualquer um dos dois.

8. Perna do Vento: O planejamento para a entrada no tráfego tem que sempre ser padrão, conforme determinado nas Regras de Voo ou nas Cartas de Aproximação. Nada diferente disso é aceitável. A verificação de tráfegos deve ser continua, assim como a trajetória e distância da pista, conforme o tipo de aeronave.

9. Aproximação Final: Defina um padrão de aproximação e sempre o execute. Cheques pré-pouso, velocidades, configurações devem ter sido feitas sempre no momento certo, de modo que na aproximação final só se aceita pequenas variações e correções para manter os padrões definidos. Arremeter, quando esses padrões não estão consistentes, deve sempre ser uma opção a ser considerada.

10. Pouso: Pouse sempre conforme os padrões de velocidade preconizados para o tipo de pista e configuração da aeronave. Busque tocar na velocidade adequada, manter-se no centro da pista durante toda a corrida e aplique freios suavemente, conforme a necessidade.

As dicas do checklist de Proficiência parecem simples, mas é sempre bom lembrar que mais de 80% dos acidentes, na Aviação Geral, ocorrem por falha dos pilotos justamente em procedimentos básicos de voo, de acordo com a AOPA-EUA e o Air Safety Institute, que monitoram e analisam isso com o NTSB há décadas. Devemos sempre nos lembrar que a diferença entre estar proficiente ou "quase" proficiente é muito sutil.

Não hesite em realizar voos duplos com instrutores qualificados de tempos em tempos, independente do que as Regras determinam. Afinal, voar em segurança deve sempre ser requisito para os nossos voos!

%d blogueiros gostam disto:
Pular para a barra de ferramentas