O blog ParaSerPiloto publicou um artigo que gostaríamos de reproduzir na íntegra:

Foi publicado ontem o Anuário de Tráfego Aéreo do DECEA – 2015. Bela edição, com 232 páginas muito bem ilustradas e uma quantidade de dados absurda. Aliás, sugeriria aos estatísticos do CENIPA, que envergam a mesma farda, uma olhada nesses números para ver se não dá para testar algumas hipóteses sobre segurança na aviação relativa a operações de voo, só para variar um pouco. Sei lá, é só uma sugestão para quebrar a rotina do dia-a-dia dos “panoramas de segurança da aviação” que o órgão produz. Deve ser um tédio…

Bem, mas voltemos ao tráfego aéreo. Das informações apresentadas sobre movimentos em aeródromos, vamos nos concentrar em duas: as sobre SBMT (Campo de Marte) e sobre SBJR (Jacarepaguá), que estão entre os mais importantes aeroportos do Brasil para a aviação geral. Vejamos os números totais de operações nos últimos anos:

SBMT – Quantidade de operações da aviação geral:

  • 2013: 135mil
  • 2014 115mil (-15% sobre o ano anterior)
  • 2015: 103mil (-10% sobre 2014 e -24% sobre 2013)

SBJR – Quantidade de operações da aviação geral:

  • 2013: 126mil
  • 2014: 111mil (-12% sobre o ano anterior)
  • 2015: 89mil (-20% sobre 2014 e -29% sobre 2013)

A redução média das operações da aviação geral nestes dois aeroportos foi de 26,5%, comparando 2015 com 2013. Ou seja: a aviação geral encolheu mais de 1/4 no período, e em 2016 deverá encolher outro tanto. E como se sabe que é na aviação geral que acontece a maior parte dos acidentes (não só no Brasil mas no mundo todo), então está explicado porque os indicadores de segurança da aviação brasileira não explodiram nos últimos anos.

Ao que parece, a segurança da aviação do Brasil tende a melhorar muito no futuro próximo!

Fonte: PSP

%d blogueiros gostam disto:
Pular para a barra de ferramentas