Como diz o velho provérbio chinês: "O homem que remove montanhas começa carregando pedras pequenas". O fato é que essas pequenas pedras já começaram a ser carregadas, pelo menos para nós, da aviação!

Nunca houve tantas mudanças em nossa regulamentação de forma consecutiva - e, no ponto de vista das pessoas que vivem a aviação, quase todas negativas. Foram essas mudanças negativas que tornaram possível a aproximação entre o Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA), as associações de pilotos por todo Brasil, e a Agência Reguladora (ANAC). Por um tempo, os pilotos enfrentaram dificuldades de comunicação com a Agência: a ANAC se mostrava intocável e inacessível. Finalmente, eles passaram a enxergar o quanto precisavam estar próximos da comunidade e avançar, no sentido de criar regras que façam realmente sentido.

Dizemos que na aviação aprendemos com os erros. E quem será que errou mais? Nós ou os EUA (que possuem a maior frota de aviões do mundo)? Por amostragem, claro que eles. Então, por que reinventar a roda? Por que não copiar o que é bom e funciona em outros lugares?

Ontem (09/12), aconteceu uma apresentação da ANAC/SPO - Superintendência de Padrões Operacionais para as associações da aviação. Participaram o SNA, a APPA, a ABAG, a ABRAPAC, a ABRAPHE e a EWM, representando as demais escolas e aeroclubes. Quanto aos novos rumos da regulamentação para os pilotos em 2015, sugerimos que leiam o artigo: "Os novos rumos do RBAC-61 em 2015 – Ou: “Para o alto, e avante!” A regulamentação da ANAC vai se aproximar da FAA, finalmente!", publicado pelo Raul Marinho no blog Para Ser Piloto.

Como disse Raul: "Para o alto, e avante!". Deixamos vocês com outro provérbio chinês: "A quem sabe esperar, o tempo abre as portas".

%d blogueiros gostam disto:
Pular para a barra de ferramentas